As compras de brinquedos transformaram-se nos últimos 100 anos devido aos avanços nos produtos ou no mercado. Esta lista, na sua versão completa, vai desde 1920 até anos recentes, e foi organizada usando arquivos de brinquedos dos EUA e dados com curadoria do The Strong National Museum of Play. Alguns itens permanecem relíquias curiosas do passado, enquanto outros são essencialmente tão icónicos agora quanto o foram na sua estreia. Cada um funciona também como uma janela para a cultura americana.

Randen Pederson/Flickr

1920: boneca Raggedy Ann

Preço original: 1 dólar

Originalmente uma personagem de livro, Raggedy Ann foi criada pelo prolífico cartonista político Johnny Gruelle. Em 1920, duas bonecas feitas à mão – Raggedy Ann e o seu irmão, Raggedy Andy – foram vendidas junto com o livro. O resultado foi um sucesso meteórico em todas as frentes. Há muitos mitos sobre a concepção de Raggedy Ann, o que é bastante apropriado, dadas as origens do livro de histórias da personagem.

1921: Lincoln Logs

Preço original: 50 cêntimos a 1 dólar

John Lloyd Wright, filho do famoso arquiteto Frank Lloyd Wright, inventou o Lincoln Logs depois de notar uma fundação de vigas interligadas num hotel de Tóquio que o seu pai tinha projetado. Os primeiros Lincoln Logs usavam pau-brasil e várias cores para o telhado. Até hoje, não está claro se o nome em si foi realmente inspirado por Abraham Lincoln ou devido ao nome do meio original de Wright: Lincoln.

1922: Tinkertoy

Preço original: 59 cêntimos

Composto por várias rodas, hastes e polias, os Tinkertoys originais vinham num divertido tubo de correspondência, ganhando ainda mais distinção. Após um lançamento inicialmente lento, o conjunto de construção criativa apareceria sob quase todas as árvores de Natal da América na década de 1920.

1925: ursinho de peluche (“Teddy Bear”)

Preço original: 79 cêntimos

A ideia original do ursinho foi inspirada pelo próprio ex-presidente Teddy Roosevelt. Tudo começou quando um cartonista político retratou Roosevelt recusando-se a disparar contra um urso negro que havia sido amarrado a uma árvore pela sua equipa de expedição. Ao ver o cartoon no The Washington Post, o dono de uma loja de doces – Morris Michtom, que também fazia animais de peluche com a sua esposa, Rose – teve a ideia de criar um urso de peluche e baptizá-lo com o nome do famoso incidente. Com a permissão de Roosevelt, Michtom colocou dois “Teddy’s Bears” (como eram originalmente chamados) na sua vitrina, e o resto é história.

1926: lápis Crayola

Preço original: 5 cêntimos

A palavra “Crayola” representa uma combinação das palavras francesas para “giz” e “oleoso” (“chalk” e “oily”), o que faz todo o sentido, visto que estes gizes são pequenos bastões de cera inventados para complementar o giz de baixa qualidade. Na sua estreia em 1903, uma caixa de giz de cera compreendia apenas oito cores, mas quando a Binney & Smith comprou a marca em 1926, esse número aumentou para 22.

1928: Ioiô

Preço original: 5 cêntimos

Com origens que remontam a quase 500 A.C., os ioiôs tornaram-se omnipresentes na América após um imigrante filipino chamado Pedro Flores fazer uma parceria com o fabricante de brinquedos D. F. Duncan Sr. para os produzir em massa (300 mil unidades por dia). Alimentados pela publicidade de pessoas como o magnata William Randolph Hearst, as crianças envolveram-se em concursos de ioiô por todo o país, tornando o “brinquedo maravilhoso” uma sensação.

Kim Viljanen/Wikimedia Commons

1929: livro “pop-up”

Preço original: não disponível

Acredite-se ou não, o primeiro livro “pop-up” remonta a um místico catalão do século XIV que empregou uma série de discos em movimento para demonstrar visualmente os seus tratados filosóficos. Os livros “pop-up” de hoje estão mais diretamente ligados ao “Daily Express Children’s Annual No. 1” de 1929, publicado por Louis Giraud e Theodore Brown. Conhecido na época como “móvel”, o livro de Giraud e Brown introduziu uma aba prática que, quando puxada, fazia surgir modelos de cartão.

1930: boneco do Mickey Mouse

Preço original: não disponível

Em 1928, a Disney lançou uma curta-metragem de animação chamada “Steamboat Willie”, e o público apaixonou-se pelo rato chamado Mickey. Para capitalizar a popularidade meteórica de Mickey, a Disney contratou Charlotte Clark para criar o primeiro boneco de peluche do Mickey em 1930. A Disney não conseguiu atender à procura e as mães em casa começaram a costurar os seus próprios bonecos como alternativa.

1937: Monopólio

Preço original: 2 dólares

O jogo de tabuleiro mais famoso do mundo esteve quase para não existir. A Parker Brothers rejeitou o Monopólio quando lhe foi apresentado pelo criador Charles Darrow em 1933. E em 1936, o fundador da Parker Brothers, George S. Parker, ordenou a interrupção da produção, mas mudou de ideia pouco depois.

https://www.viewmaster.co.uk/arand11/model_j_black_both.jpg

1939: View-Master

Preço original: 2 dólares

Durante uma viagem às Cavernas de Oregon em 1938, Harold Graves, presidente dos Sawyer’s Photographic Services, viu um homem chamado William Gruber a juntar duas câmaras na esperança de um dia fazer slides coloridos em 3D. Os dois homens fecharam um acordo e o View-Master foi o resultado, indo para o mercado em 1939. Quando a América entrou na Segunda Guerra Mundial alguns anos depois, o governo dos EUA comprou milhões de discos especiais de View-Master e usou-os para treinar militares sobre como detectar aviões e barcos ao alcance de tiro.

1954: Scrabble

Preço original: 2 dólares

Um arquiteto desempregado chamado Alfred M. Butts criou um jogo durante a Depressão em que peças com letras recebiam pontos numa grade ao estilo de palavras cruzadas. Butts criou nomes para o jogo como CrissCross Words e Lexiko antes de licenciar a ideia a James Brunot, que o chamou de Scrabble. As vendas foram péssimas no início, mas em 1954 a empresa Selchow & Righter, que possuía os direitos, vendeu-os à Hasbro e o jogo foi comercializado com grande sucesso.

File:Taj Mahal drawing on an Etch-A-Sketch.jpg
Etcha/Wikimedia

1960: Etch A Sketch

Preço original: 2,99 dólares

Originalmente conhecido como L’Écran Magique, o Etch A Sketch foi ideia do técnico eléctrico francês André Cassagnes. Cassagnes vendeu o seu produto durante um ano sem muita sorte, até que a Ohio Art Company decidiu gastar 25 mil dólares nos direitos de licenciamento. O brinquedo foi renomeado no processo. Após alguns anúncios publicitários de televisão, o Etch A Sketch disparou para o topo das listas de desejos do Pai Natal em todo o país.

1962: Chatter Telephone

Preço original: 1,42 dólares

O Chatter Telephone foi criado após Ernest Thornell ver a sua filha a arrastar o telefone pela casa como um animal de estimação. Isso deu-lhe a ideia de adicionar rodas, seguidas de vários botões que fazem barulho. O Chatter Telephone foi originalmente feito de madeira, mas o modelo actual é normalmente feito de plástico.

1969: conjuntos de construção de Lego

Preço original: 10 a 30 cêntimos por peça

Derivado de duas palavras dinamarquesas que significam “brincar bem”, o Lego não é apenas o melhor brinquedo do ano em que se nasceu, mas o melhor brinquedo do século passado. O que começou em 1949 como um conjunto de blocos vermelhos e brancos interligados tornou-se um verdadeiro fenómeno cultural no final dos anos 1960, completado com o seu próprio parque temático Legoland.

1974: Skate

Preço original: 20 a 60 dólares

O skate começou em 1958, quando as pessoas prenderam rodas de patins a uma prancha para “surfar no passeio” (“sidewalk surf”). Só no início dos anos 1970, e com a criação de rodas de uretano para suavizar um passeio acidentado, que os skates encontraram o seu duradouro sucesso.

Evan-Amos/Wikimedia Commons

1977: Atari 2600 Game System

Preço original: 199,99 dólares

O Atari 2600 foi absolutamente crucial para o desenvolvimento dos videojogos. O produto oferecia uma jogabilidade simplificada e uma série de grandes títulos como “Frogger”, “Pac-Man” e “Space Invaders”. A consola não foi a primeira a levar os videojogos para casa, mas foi sem dúvida o primeiro e mais importante catalisador para o que viria a ser a revolução dos videojogos domésticos.

1978: Figuras de acção de Star Wars

Preço original: 3 ou mais dólares

“Star Wars” é a meta pela qual todas as outras franquias actualmente aspiram. O sucesso inicial do filme em 1977 apanhou praticamente todos os sectores de surpresa, incluindo a indústria dos brinquedos. Para dar conta da procura repentina de mercadorias, a empresa de brinquedos Kenner lançou à pressa uma série de puzzles e jogos com resultados desiguais. No entanto, assim que as figuras de acção de Luke Skywalker, R2-D2, Chewbacca e Princesa Leia chegaram às prateleiras em 1978, o “merchandise” de Star Wars tornou-se tão popular quanto o próprio filme.

1979: Simon

Preço original: 24,95 dólares

Tendo inventado o primeiro sistema de videojogos na década de 1960, percebe-se que Ralph Baer tenha pegado pistas conceptuais de um jogo de arcada da Atari chamado “Touch Me” para criar Simon em meados dos anos 70. O brinquedo electrónico, que testava a memória do jogador reproduzindo padrões de cores que se tinham de reproduzir em sequência, foi apresentado na discoteca Studio 54. A partir daí, tornou-se um item básico em quase todos os baús de brinquedos suburbanos da América.

1980: Cubo de Rubik

Preço original: 1,99 dólares

O designer húngaro Erno Rubik concebeu um puzzle geométrico 3D em 1974 chamado Magic Cube. Em 1980, a genial engenhoca de Rubik estava nas mãos da Ideal Toy & Novelty Company, que a rebatizou de Rubik’s Cube. O quebra-cabeça foi um sucesso instantâneo, vendendo 100 milhões de unidades nos primeiros dois anos. Desde então, surgiu uma esfera periférica de competições, livros e imitadores.

1986: Nintendo Entertainment System (NES)

Preço original: 199,99 dólares

A mania da Atari diminuiu em meados dos anos 80 a um ponto em que as consolas de jogos domésticos pareciam estar à beira da extinção nos EUA. Isso não impediu a Nintendo do Japão de tentar penetrar no mercado americano em 1985. Para incentivar os retalhistas, a divisão norte-americana da Nintendo concordou em ser paga apenas pelas unidades vendidas, enquanto as unidades não vendidas poderiam ser devolvidas. A aposta não teve sucesso, mas criou uma dinâmica suficiente para manter o sistema de videojogos a funcionar até ao lançamento de “Super Mario Bros” em 1986. Os videojogos têm sido uma referência da cultura americana desde então.

William Warby/Flickr

1989: Gameboy

Preço original: 89,99 dólares

Embora não seja o nascimento dos jogos móveis, o Nintendo Game Boy foi o seu maior passo em frente. A consola portátil de 8 bits oferecia um design acessível, vários jogos excelentes e um nível de conveniência que fala por si. Como continuação do NES e como uma revolução por si mesmo, o Game Boy foi um sucesso instantâneo.

1991: Super Nintendo Entertainment System

Preço original: 199.99 dólares

Marcando um grande avanço em relação ao NES em praticamente todos os capítulos, a Super Nintendo manteve um controlo magistral na esfera das consolas de videojogos. No entanto, desta vez, a marca enfrentou uma concorrência mais activa com a consola Sega Genesis de 32 bits. A primeira grande “guerra das consolas” tinha começado oficialmente.

1997: Tamagotchi

Preço original: 17,99 dólares

Antes dos telemóveis, adolescentes e pré-adolescentes foram capturados por um animal de estimação virtual chamado Tamagotchi. Para ser justo, se deixado sozinho, o Tamagotchi morreria de fome; portanto, um nível consistente de atenção era mais ou menos obrigatório.

1999: cartas coleccionáveis de Pokémon

Preço original: 3 a 4 dólares

Vindo do Japão, o Pokémon começou como um jogo do Game Boy de 1996 e rapidamente se transformou numa franquia completa com programas de TV, brinquedos e filmes. Mas nada parecia atiçar o furor das massas como as cartas coleccionáveis de Pokémon. Além do seu apelo de coleccionador, as cartas inspiraram uma liga competitiva oficial conhecida como Pokémon Organized Play.

2000: PlayStation 2

Preço original: 299 dólares

Enquanto a PlayStation original se posicionou como líder da nova guarda de jogos em meados da década de 1990, foi a PlayStation 2 que consolidou o status da Sony como verdadeiro rei do entretenimento doméstico. A consola arrecadou 250 milhões de dólares apenas no primeiro dia, esgotando-se rapidamente devido a atrasos na fabricação e obtendo números extremamente altos no mercado de segunda mão.

2004: Robosapien

Preço original: 99 dólares

Concebido por Mark Tilden e fabricado pela WowWee toys, Robosapien era um robô controlado remotamente capaz de vocalizar e com 67 movimentos pré-programados. Num toque extra-inteligente de engenhosidade, o Robosapien imitava a icónica cena Rosebud de “Citizen Kane” de cada vez que se desligava usando o controlo remoto.

Evan-Amos/Wikimedia Commons

2005: Xbox 360

Preço original: 399 dólares

Nas guerras das consolas do século XXI, a Microsoft lançou um desafio ao mercado com a Xbox 360 em 2005. Apresentando melhorias em todas as frentes, aliadas à conectividade com a Internet, a Xbox 360 venderia mais de 77 milhões de unidades nos oito anos seguintes.

2006: Nintendo Wii

Preço original: 250 dólares

A Nintendo voltou aos videojogos com o lançamento da Nintendo Wii, oferecendo gráficos borbulhantes, um ecossistema personalizado e controladores de movimento portáteis para uma abordagem mais amigável e interactiva. As enormes vendas e os prémios deixaram a Nintendo saber que tinha um sucesso qualificado em mãos.

2007: Guitar Hero

Preço original: 90 dólares

“Guitar Hero” foi lançado pela primeira vez em 2005 e capitalizou imediatamente as possibilidades interactivas dos jogos modernos. A terceira parte, “Guitar Hero III: Legends of Rock”, não foi apenas o videojogo mais vendido de 2007, mas foi alegadamente o primeiro videojogo a atingir 1.000 milhões de dólares em vendas no retalho.

2008: brinquedos WALL-E

Preço original: 7 ou mais dólares

Famoso pelos seus temas sofisticados e visuais impressionantes, o filme de 2008 da Disney/Pixar, “WALL-E”, tocou a todas as idades e arrebatou uma audiência de milhões. Apesar das vibrações do filme, a Disney rapidamente lançou toneladas de mercadorias subsequentes de WALL-E que venderam em quantidades suficientes para ajudar a actualizar as próprias previsões terríveis do filme.

Yaniv Golan/Flickr

2009: Angry Birds

Preço original: 5 ou mais dólares

Para jogos baratos e viciantes, Angry Birds continua a ser a franquia a ser batida. Estreou em 2009 e perdeu pouco impulso desde então. Além do videojogo, há uma série de TV, uma longa-metragem e uma variedade de brinquedos de peluche que venderam milhões.

2010: iPad

Preço original: 499 dólares

O iPad da Apple foi lançado em 2010 e rapidamente encontrou o seu nicho entre laptops e telemóveis, com um milhão de unidades vendidas no primeiro mês. O iPad tornou-se tão omnipresente tão rapidamente que, quando a NFL fechou um acordo exclusivo com a Microsoft para usar os seus tablets Surface em 2015, os locutores não puderam deixar de se referir a esses tablets como iPads…

2011: Skylanders

Preço original: 5 ou mais dólares

O Skylanders leva brinquedos da vida real para o mundo dos videojogos usando a tecnologia de “near-field communication” (NFC). O género de brinquedos para a vida, e os Skylanders em particular, conquistaram muitos seguidores entre os jovens jogadores.

2013: Tekno, o cachorro robótico

Preço original: 94,99 dólares

Tekno veio ao mundo em 2000 e tem-se vendido em grande número desde então. Além de atender aos comandos, o cão robô usa tecnologia de sensores de luz para reagir ao ambiente. Ele também pode ir dormir sozinho e dar cambalhotas. Em 2013, novas opções de cores foram introduzidas e os proprietários puderam controlar o brinquedo usando dispositivos inteligentes.

Hasbro

2020: “The Child” animatrónico

Preço original: 62,99 dólares

Tem muitos nomes, mas apenas alguns estão correctos. “The Child” (também conhecido como “Grogu” ou, incorrectamente, “Baby Yoda”), de “The Mandalorian” da Disney, teve um momento importante na história da cultura pop – um momento que durou quase dois anos desde o lançamento da série “Star Wars”. em 2019. A segunda temporada focou-se na busca do Mandaloriano para devolver Grogu aos Jedi. Esse enredo deu aos fãs exactamente o que eles desejavam – cenas mais adoráveis com o personagem verde brincando com o seu estóico e misterioso guardião, o Mandaloriano. Também deu aos fabricantes de brinquedos a inspiração perfeita. Os brinquedos “The Mandalorian” foram incluídos em muitas listas de brinquedos em 2020 e este brinquedo animatrónico deu às crianças – e, sejamos sérios, a inúmeros adultos também – a possibilidade de viver a fantasia de ter um Grogu próprio.

Artigo original de Jacob Osborn e Peter Richman, publicado pela Stacker.

Act.: World’s Most Dangerous Toy? Radioactive Atomic Energy Lab Kit with Uranium (1950)