“A desinformação não pode ser suprimida apenas por regulamentação e leis, é necessário capacitar os meios de comunicação e os jornalistas, investir no jornalismo de qualidade e independente, bem como na cultura política democrática, literacia mediática e literacia digital dos cidadãos da União Europeia”, concluiu-se na recente conferência “European Perspectives: The Impact of Disinformation on the Health of Democracy and the Digital Environment”, da organização húngara Gong.