O apelo é feito pela economista Joëlle Toledano, do Conseil National du Numérique, assegurando que as redes sociais são incapazes de se auto-regular para ter uma transparência objectiva, no âmbito do “pacote do Digital Services Act“: “Se for mesmo o Facebook que escolhe o especialista e lhe paga, o objectivo do especialista será de renovar [o seu contrato laboral]. Não se conte com ele para fazer a transparência!”