Um estudo internacional em 24 países tentou perceber como as gerações disruptivas entre os 18 e os 40 anos (conhecidas por Geração Z e Y, ou Millennials) têm acesso à informação sobre a Covid-19.

O trabalho “Social Media & Covid-19: A Global Study of Digital Crisis Interaction Among Gen Z and Millennials” procurou também conhecer quais as fontes noticiosas em que confiam e as preocupações com as notícias falsas, bem como a partilha destas.

O estudo foi realizado pela Wunderman Thompson, University of Melbourne e Pollfish, em colaboração com a World Health Organization (WHO), junto de 23.483 inquiridos em 24 países (Portugal ficou de fora) que responderam ao inquérito telefónico entre 24 de Outubro de 2020 e 7 de Janeiro de 2021.