Portugal é o país da Europa ocidental que mais teme a fraude online, segundo revela o World Risk Poll da Lloyd’s Register Foundation, o primeiro inquérito a medir preocupações e riscos em 142 países.

No caso da fraude online, que movimenta 600 mil milhões de dólares por ano, Portugal (com 78%) é seguido por Malta (77%), França (74%) e Espanha, com 71%. A média global fica-se pelos 45%.

O problema das “fake news” lidera as preocupações globais perante a fraude pela Internet e o “cyber bullying”. Para Portugal, a desinformação surge em segundo, com 69% do milhar de inquiridos no país a apontá-lo como risco, e 39% para o “bullying” online.

As “fake news”, refere o inquérito, são “prevalentes em regiões de grande desigualdade económica e onde existe uma polarização étnica, religiosa ou política, enfraquecendo a coesão social e a confiança”. O Malawi, com 87%, lidera estas preocupações, seguido do Ruanda e da Bolívia.