A vice-reitora da Universidade Nova de Lisboa, Elvira Fortunato, lidera o projecto Invisible, “o único projecto português entre os dez finalistas candidatos ao prémio Horizon Impact Award 2020 atribuído pela Comissão Europeia”, cujo vencedor será anunciado a 23 de Setembro nos European Research and Innovation Days.

O anúncio, feito esta quarta-feira, 16 de Setembro, refere que o Invisible “contribui para o primeiro ecrã produzido com materiais ecosustentáveis, actualmente comercializado por várias empresas, tendo dado origem a uma nova área tecnológica cujos resultados foram adoptados numa variedade de indústrias como as da impressão a jacto de tinta e dos diagnósticos médicos inteligentes”.

O Invisible surgiu por volta de 2008, altura em que Fortunato demonstrou “a possibilidade de fazer o primeiro transístor de papel, iniciando um novo campo na área do papel electrónico”.

Agora, também investigadores da Purdue University publicaram na revista científica Nano Energy um protótipo de papel electrónico com um potencial para diversas funções. O processo pode ser adaptado para qualquer tipo de papel ou cartão.

A equipa de investigadores assegura que a tecnologia é compatível com os processos tradicionais de impressão, conseguindo assim baixos custos na sua disponibilização ao público.