A crise do COVID-19 levará a uma forte contracção do PIB em todos os Estados-membros da UE. Dos milhões de euros para as companhias aéreas às várias centenas de euros para as pequenas empresas, os governos têm apoiado a sua economia de diferentes maneiras.

O coronavírus fará com que o PIB em todos os Estados-membros da UE diminua em média 8,3% este ano. Mas, de acordo com algumas previsões, apenas um ano após a recessão, haverá poucos vestígios.

Revemos os programas de ajuda em vários países. Foi o “maior peixe” quem mais ganhou – as companhias aéreas e as corporações internacionais.

Portugal
40 milhões de euros estão disponíveis para apoiar as empresas afectadas pela pandemia de COVID-19 na Região Autónoma da Madeira e 43 milhões de euros para os Açores.

Um empréstimo de resgate de 1,2 mil milhões de euros foi atribuído à companhia aérea TAP e 20 milhões de euros para ajudar as empresas do sector das pescas. Há também 140 milhões de euros para investigação e desenvolvimento ligados à luta contra a pandemia.

* Texto baseado no original publicado em BIQdata/EDJNet (CC BY 4.0). Foto: Lukas Plewnia (CC BY-SA 2.0)