Já se calculava que os animais conseguiam antecipar os terramotos mas fazê-lo com cabos submarinos de telecomunicações parece agora possível.

O lançamento do cabo submarino Grace Hopper foi anunciado na semana passada, prevendo-se que possa ligar os EUA, o Reino Unido e a Espanha (em Bilbao).

O anúncio do Grace Hopper acompanha outros investimentos da Google nestas ligações entre continentes, como o Equiano que deverá ligar Portugal à África do Sul.

https://storage.googleapis.com/gweb-cloudblog-publish/images/Equiano_Route_Map_FINAL.max-1000x1000.png

Embora aumentem os débitos de transmissão nas comunicações, estes cabos submarinos podem servir como uma teia para detectar terramotos, revelou um projecto de investigação da Google.

Segundo a empresa, uma “experiência com cabos submarinos de fibra óptica mostrou que eles podem ser úteis para sistemas de alerta de terramotos“.

Os investigadores do Google Global Networking, consideram que existe “uma longa tradição em usar fibra óptica para aplicações de detecção. Mas, embora a maioria dessas técnicas seja eficaz em distâncias de até 100 km, desenvolvemos uma técnica que funciona em dezenas de milhar de quilómetros”, usando os cabos de fibra óptica “existentes para detectar distúrbios no fundo do mar”, assim como se podem aproveitar os equipamentos que fazem parte da “grande maioria dos sistemas de fibra óptica existentes”.

[act.: Android phones to become the world’s biggest earthquake detection grid]