O presidente Trump revelou alguns detalhes de como usa a sua conta do Twitter @realdonaldtrump, numa entrevista a Dave Portnoy, “El Presidente” da Barstool Sports.

Ele recordou como a rapidez no envio faz cometer erros, ao contrário de uma carta em papel que, antes se deixava para relar no dia seguinte e se podia deitar fora. “Mas nós não fazemos isso com o Twitter, certo? Nós publicamos instantaneamente, sentimo-nos óptimos. E então começa a receber telefonemas: ‘você disse realmente isto?'”

Mas, disse ainda, “não são os tweets, são os retweets que causam problemas… Vê-se algo que parece bom e não se investiga, não se olha lá para dentro”.

A entrevista analisada pela CNN:

Já esta segunda-feira, enquanto enviava “retweets” da situação em Portland a defender a solução de força contra os manifestantes, Trump voltou a mostrar como há coisas que parece não perceber desta rede social, ao afirmar “É tão nojento assistir à chamada “Trending” do Twitter, onde taaantas tendências são sobre mim, e nunca uma boa. Eles procuram por qualquer coisa que encontrem, fazem com que seja o pior possível e estragam-na, tentando torná-la tendência. Realmente ridículo, ilegal e, é claro, muito injusto!”

Como explica a rethink, um tópico “trending” ocorre com um grande aumento no tráfego. Ou seja, eles são criados a partir “de um pico em relação à norma”, de forma automática.