Um tempo feliz“, foi como definiu a mãe o poder rever a filha, numa produção em realidade virtual que demorou oito meses para mostrar nove minutos no documentário “I Met You”.