Vigilância com WeChat “ensina” algoritmos de censura

A aplicação social mais popular da China vigia as imagens e os ficheiros partilhados na sua plataforma – sejam de utilizadores chineses ou outros que a usem – e utiliza estes conteúdos para “ensinar” os algoritmos a melhorar as suas capacidades de censura, segundo a Citizen Lab.

Os resultados da investigação desta entidade canadiana, “We Chat, They Watch: How International Users Unwittingly Build up WeChat’s Chinese Censorship Apparatus, permitem ainda saber que a WeChat vigia contas não registadas na China, também para melhorar os seus algoritmos de censura a utilizadores registados no país.

A constatação é preocupante quando se sabe que a WeChat está activa na vigilância política e ainda se desconhece se o mesmo é efectuado para o chat e as mensagens de texto.

Neste âmbito, quando qualquer mensagem é trocada entre utilizadores da WeChat, uma cópia é armazenada nos servidores geridos pela Tencent (a empresa tecnológica detentora da aplicação) para detectar se a mesma tem palavras ou imagens “proibidas” antes de a enviar para o destinatário.

Nenhum documento da plataforma social dá a menor indicação de exercer esta vigilância, apesar das app stores o requererem e alguma legislação em vários países também a prever.

A WeChat tem mais de 1,1 mil milhões de utilizadores activos. Está disponível em Portugal desde Setembro de 2018 e os números de utilizadores fora da China não são divulgados.

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google photo

Está a comentar usando a sua conta Google Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.