Os jornalistas são dos mais responsáveis pela saúde ambiental e aderentes da reciclagem no planeta: dois terços da produção jornalística é uma repetição de algo original já escrito anteriormente.

“A infobesidade dessensibiliza-nos para as tragédias”, conclui Jodie Jackson, e isso “é um verdadeiro problema”.

A produção editorial e os jornalistas, escreve-se em “Bien s’informer, une exigence sanitaire pour les producteurs et consommateurs d’information“, podem comparar-se de alguma forma “aos agricultores subvencionados. Eles trabalham como loucos para coisas que não são verdadeiramente consumidas”. Nomeadamente nas redacções focadas no digital. Por isso, chegou o tempo de um “jornalismo construtivo“.

Assim, faz sentido questionar qual deve ser o papel actual dos jornalistas.