A evolução das “deepfakes” até à lei

O receio do uso das “deepfakes” em eleições é real e não deve ser menosprezado. Quanto à sua generalização, a tendência é mais difícil de antecipar, devido ao ainda elevado preço, software de difícil uso e conhecimento tecnológico necessários.

As “deepfakes” generalizaram-ser a partir de 2017 e o temor do seu aproveitamento político foi essencial desde então para agora se antecipar a criação de leis sobre o uso das imagens falsas. Dois anos depois, no entanto, um estudo a 15 mil “deepfakes” detectou que 96% eram de teor pornográfico.

Estes vídeos não passam de uma evolução tecnológica natural na manipulação de imagens agilizada a partir dos anos 1990 com o Adobe Photoshop, recorda-se no trabalho “Trust Your Eyes? Deepfakes Policy Brief“, elaborado pelo Center for Strategic and International Studies.

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google photo

Está a comentar usando a sua conta Google Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.