A inteligência artificial (IA) tem um enorme potencial para o desenvolvimento global e já está a ser amplamente explorada como um meio de combater a pobreza e dinamizar as economias. No sector de saúde, a tecnologia da IA é usada para diagnosticar doenças como a dengue e o Zika, enquanto na agricultura está a ajudar os agricultores a identificar pragas e a agirem antes que a produção sofra. No Senegal, as autoridades estão a lidar com a rápida urbanização com “cidades inteligentes” pioneiras, onde os moradores moram em casas conectadas e a IA controla o transporte, a gestão de resíduos e até os serviços de assistência.

Mas em todo o mundo existem preocupações sobre as consequências destas tecnologias e do seu impacto na privacidade, segurança e direitos humanos – e, nos países em desenvolvimento, esses receios são amplificados pela falta de infra-estrutura e de regulamentação.

Neste conjunto de artigos [publicados em inglês], analisa-se como a IA está a ser usada no contexto do desenvolvimento internacional e questiona-se o que precisa de ser feito para garantir que o seu potencial é realizado de maneira justa e sustentável:
* AI needs regulation and connectivity to tackle poverty
* AI offers answers to Africa’s rapid urbanisation
* AI for development: facts and figures
* AI predicts a healthier future for Latin America
* Tailored, targeted AI apps pave way for smart farming
* Everyday UFOs: the dark side of drones in development
* Q&A: AI for developing countries must be adaptable and low-cost

* Texto originalmente publicado em SciDev.Net. Imagem: Gerd Altmann (Pixabay)