A Microsoft e a Warner Bros. demonstraram a possibilidade de armazenar dados num pedaço de sílica. O conceito foi demonstrado ao guardar o filme Superhomem num quadrado de 7,5 centímetros por 2 milímetros de espessura, no âmbito do Project Silica, desenvolvido pela Microsoft Research e que junta um sistema óptico de laser ultra-rápido e inteligência artificial para guardar dados neste tipo de materiais.

A empresa já tinha seguido esta linha de investigação, nomeadamente com o armazenamento holográfico de dados, mas tinha-o considerado de elevado custo e pouco competitivo na relação de dólar por gigabyte.

Segundo a Microsoft, o duro vidro de sílica pode suportar contratempos extremos como “ser fervido em água quente, ir ao forno [ou ao] microondas, inundado, polido, desmagnetizado e outras ameaças ambientais que podem destruir arquivos históricos ou tesouros culturais de valor inestimável, se algo correr mal”.

A Warner Bros. contactou a empresa de informática pela necessidade que tem em obter sistemas de armazenamento de dados para salvaguarda futura dos seus filmes e sons.