Uma técnica para impressão no corpo humano possibilita a inserção de biosensores ou de tatuagens electrónicas com “componentes eléctricos flexíveis”.

Tratam-se de impressões temporárias que monitorizam as actividades cardíaca e cerebral e integram estimuladores musculares, segundo o artigo “Flexible, Print-in-Place 1D–2D Thin-Film Transistors Using Aerosol Jet Printing“, publicado na ACS Nano por engenheiros da Duke University.

O conceito de tatuagens electrónicas foi desenvolvido há poucos anos por John A. Rogers, da University of Illinois.

Em vídeo, os investigadores Aaron Franklin e Nick Williams explicam a nova tecnologia de impressão.