O facto de diversos países europeus, incluindo Portugal, se apoiarem no software da Microsoft na Administração Pública tem diversos impactos negativos, revelou um trabalho do Investigate Europe.

Segundo o grupo de jornalistas, esta “dependência

– faz com que os custos aumentem continuamente e bloqueia o progresso técnico nas autoridades e organizações governamentais;

– compromete sistematicamente as leis europeias em matéria de contratos e de concorrência;

– aporta uma influência política esmagadora para a empresa, culminando na interdependência pessoal e numa penetração [do seu software] em escolas e universidades;

– e coloca em perigo os sistemas de tecnologias de informação governamentais, juntamente com as informações pessoais dos seus cidadãos, tanto tecnológica quanto politicamente”.

Um exemplo disso é patente neste documentário “The Microsoft Dilemma“: