#Destaques
Os interesses económicos da Google misturam-se com a diplomacia política dos EUA.

A liderança chinesa nas tecnologias emergentes e o seu impacto na Europa.

#Artes
Descobrir Tintoretto com “novos tons electrónicos” para uma experiência sinestética.

#Cidades
A iluminação nocturna na Europa, em Portugal e em Espanha.

Repensar o problema do lixo electrónico através dos dados, quando a sua gestão já tem a atenção de governos e há necessidade de um pensamento crítico sobre os mesmos.

#DireitosPatentes
Ouch! “Mais de 3,5 mil milhões de imagens roubadas diariamente” num valor estimado de 532, 5 mil milhões de euros?!?!?

#FuturoDoTrabalho
O impacto da transformação digital no mercado laboral europeu (há três anos, num mercado com falhas, a União Europeia contava com oito milhões de especialistas em TIC).

A IBM garante uma previsão de 95% dos trabalhadores que se vão despedir.

O que é um emprego quando trabalhar é mais do que receber um vencimento, a taxa de emprego está a aumentar mas não o pagamento, as ofertas de emprego nas startups são “insultuosas” ou até a produtividade na investigação decresce, dificultando o aparecimento de novas ideias? Um exemplo aos 72 anos de actor norte-americano com visto de reforma em Portugal que continua a trabalhar “mais do que em Los Angeles“…

#HumanosFuturos
Apesar da incerteza na patente ou de poder minar valores humanos, vão ser criados bebés com a tecnologia de edição genética CRISPR. Uma coisa parece certa: “como os humanos podem escolher modificarem-se biologicamente é difícil de antecipar“.

O que é feito das tatuagens inteligentes para monitorização clínica?

#InSegurança
Olhar para o passado é uma estratégia errada que dá uma falsa sensação na cibersegurança, quando “novas tácticas se manifestam por todo o lado em tempo real“. E ajuda a entender porque os algoritmos anti-terrorismo não funcionam (100 mil falsos positivos por cada terrorista real não é eficaz).

Smartphones devem ter leitor de íris com o reconhecimento facial. Um roubo bancário na China explica porquê.

A China parece ter sido dos poucos países a enfrentar os “problemas novos para tecnologia antiga” do GPS.

#Medias
As estratégias para combater as campanhas de desinformação usando imagens interessam até à DARPA. Agora, a agência noticiosa turca Anadolu revelou o Photo Tracking System para detectar onde, quando e como são usadas as suas fotos por outras entidades. Mas será uma “batalha perdida“? Ou apenas motivo de atenção quando se aproximam eleições?

A sério, vem aí uma 9D-TV multisensorial?

Já estamos no ano em que “o mercado da publicidade digital para crianças chega aos 1,2 mil milhões de dólares“.

#Memórias
Como eram os modems há 50 anos? E os “mainframes” System/360?

Os 25 anos de evolução dos browsers na Microsoft, desde acabar com a Netscape a adoptar o Chrome.

#Privacidades
Algumas técnicas para detectar videocâmaras escondidas (como numa vigilância da Guardia Civil em Espanha).

Numa era de “inteligência prostética“, as “plataformas de vigilância” são, a partir da recolha e tratamento de dados pessoais, estruturas sociais dominantes que definem interacções entre indivíduos, organizações e governos.

#Realidades
A empatia não é apenas um valor de design na realidade virtual mas uma “estratégia de vendas” para a disseminar.

#RedesSociais
Na Índia, o Facebook vai a casa dos utilizadores para garantir que são eles mesmos quem escreve conteúdos políticos.

Se o PIB dos países incorporasse a riqueza imaterial das escolhas online, o Facebook teria de pagar 48 dólares mensais a cada utilizador desinteressado.

O que sucede quando o Supremo Tribunal dos EUA analisa uma teoria da conspiração no Twitter? E qual o impacto quando a rede social limpa contas de utilizadores?

O fim dos media já foi anunciado mas está a suceder o mesmo com o YouTube?

Na economia da atenção, alguns desinteressaram-se das redes sociais e do seu ataque de negação de serviço à vontade humana.

Sob escrutínio nas redes sociais, clientes não gostam que empresas se envolvam na política.