No âmbito destas memórias sobre “Os ‘anos inesquecíveis’ para ter Internet em Portugal“, o testemunho do advogado Manuel Lopes Rocha:

Curiosamente, não recordo, com nitidez, a minha primeira experiência na Internet. Mas foi seguramente pela mão dos meus amigos [engenheiros informáticos] Henrique Carreiro e João Oliveira, há muitos, muitos anos, nos alvores da Net. Eu era um software “lawyer” e, como aconteceu com muitos, não com todos, e isso teve algumas consequências, passei a ser, também, um Internet Lawyer.

Lembro-me que trabalhei no primeiro caso decidido nos tribunais portugueses, tendo como pano de fundo a Internet, o caso Ciberdúvidas, aí por 1998, sem esquecer os últimos decididos muito bem no Supremo Tribunal de Justiça. E, depois, vieram os anos inesquecíveis marcados pela visão e direção de Mariano Gago e Diogo Vasconcelos, a colaboração na elaboração das leis da fatura eletrónica, da assinatura eletrónica e da contratação pública eletrónica. Como no slogan, para eles “impossible is nothing”. Era. Que falta nos fazem…

A Internet mudou toda a nossa atividade, claro. O passado é mesmo um país distante. Quando agora fui ver os “sites” Web que começávamos a consultar, parecem a RTP dos anos 60, estáticos, só com texto, muito institucionais. Mas eram a suprema maravilha para nós. Um mundo novo. Havia, até, um site que era a maravilha das maravilhas, Net Law, do célebre Lance Rose, um “habitué” da então famosíssima Wired, uma revista em papel. Pré-histórias…