As relações entre a investigação da inteligência humana e das máquinas, as suas potenciais aplicações e impacto social são o objectivo do novo MIT Intelligence Quest.

O propósito da iniciativa, lançada a 1 de Fevereiro, visa responder a duas questões, segundo o presidente do Massachusetts Institute of Technology (MIT), Rafael Reif: “como é que a inteligência humana funciona, em termos de engenharia? E como podemos usar essa compreensão profunda da inteligência humana para desenvolver máquinas mais sábias e mais úteis, em benefício da sociedade?”

A aposta em desenvolver ferramentas tecnológicas que possam influenciar a sociedade vai mais longe do que o panorama actual e visa ir para lá do que é “o actual horizonte do que é conhecido”, mantendo limites éticos.

O MIT IQ, que terá financiamento empresarial e filantrópico, incorpora duas “entidades”, sendo que a “The Core” pretende avançar a ciência e a engenharia da inteligência humana e das máquinas. A “The Bridge” servirá para a aplicação da investigação.

O modelo interdisciplinar desta iniciativa “será – como o próprio cérebro – uma máquina de aprendizagem perpétua, estruturada para procurar ‘feedback’ e aprender com isso, em todos os domínios relevantes”.