E se não houvessem mais dados?

Demasiados ecrãs acabam por nos remover da realidade“. Quem o diz é Enki Bilal, que lançou recentemente o álbum “Bug” sobre como é que, em 2041, o ser humano poderá (sobre)viver sem dados digitais.

Os equipamentos – de smartphones a carros autónomos – existem mas sem dados não funcionam. “E se tudo desaparecesse”, questiona em entrevista, assumindo saber que isso dificilmente pode acontecer.

“A irrupção do mundo digital marcou o fim de um mundo. Ela cortou grande parte da transmissão da cultura”, afirma. Perante a “preguiça” cerebral, acompanhada pela armazenagem de dados em discos rígidos para “disponibilizar” o cérebro para outras coisas, acabamos “por nem sequer conhecer os nossos números de telefone”.

“É um futuro que está de facto relativamente próximo”, diz.

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google photo

Está a comentar usando a sua conta Google Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.