Um acordo entre a Porto Editora e a tecnológica Samsung assinado a 7 de Novembro visa “impulsionar a utilização do digital na educação”, através de “uma solução educativa integrada, que alia manuais e conteúdos digitais para o ensino básico e secundário a hardware e software específicos para contexto educativo”, nomeadamente a plataforma Escola Virtual em tablets.

O modelo de integração digital nas escolas está igualmente a ser adoptado em França. “A escola deve preparar as gerações futuras para o mundo que aí vem”, ou “não compreender o digital hoje é ser analfabeto amanhã“.

Mas há quem questione o modelo digital nas escolas. Um exemplo recente ocorreu na Holanda, com as Steve JobsSchools, baseadas no uso dos “tablets” iPad.

Mais de metade” destas escolas abandonaram a “visão original” não pelo foco original mas pelo elevado custo do software.

[act.: A ligação de interesses entre Jobs e as escolas não foi recente. É ler este “When Steve Jobs donated 9,000 Apples to California schools, it was tax and marketing coup“.]