A Uber anunciou que vai testar o serviço de transporte áereo UberAir em Los Angeles (EUA) em 2020, com disponibilidade comercial três anos depois, após já ter revelado que o mesmo será feito em Dallas (EUA) e no Dubai.

Jeff Olsen, “chief product officer” da empresa, revelou esta quarta-feira no Web Summitt que o projecto decorre com a participação de sete empresas, entre as quais a brasileira Embraer, e a adesão ao “National Aeronautics and Space Act” da NASA no âmbito da gestão do espaço aéreo por entidades comerciais, estabelecido pelos “NASA Space Act Agreements“. A agência espacial norte-americana tem um interesse especial nestes testes de “Unmanned Aircraft System (UAS) Traffic Management (UTM)“.

A Uber, que está numa renovação de imagem corporativa com frases como “We do the right thing. Period.“, “segue o mesmo modelo que fez com os carros, fechando acordos com fabricantes mas não fazendo” qualquer investimento nos veículos.

O projecto “algo utópico” foi desvendado em Março passado pela Embraer e aprofundado em Julho pela Uber.

Olsen considerou que o serviço será “10 vezes mais eficiente do que usar um helicóptero” e “deve ser mais barato do que ter um carro“.

E também que os veículos devem ser eléctricos. Quanto às baterias, considera que numa viagem entre Lisboa e Cascais o consumo deverá ser de um terço das mesmas.