Foto: Satish Kumar, The National

Quem acede ao aeroporto de Jiangying na cidade chinesa de Nanyang não precisa de ter um bilhete de embarque mas apenas mostrar a sua face. Um sistema de reconhecimento facial garante a identificação de “qualquer um dos 1,3 mil milhões de cidadãos [da China] em três segundos”.

O mesmo reconhecimento pode ocorrer em qualquer cidade chinesa que tenha acesso ao sistema mas o projecto tem tido alguns problemas.

Chen Jiansheng, da Tsinghua University, nota a escala de um projecto destes num país com a população como a chinesa. Outros, como Cheng Mingming, da Nankai University, salientam como a informação pessoal pode ser acedida de forma ilegal. “Se os dados faciais e a informação pessoal relacionada é roubada e colocada na Internet, vai causar muitos problemas”, diz.

Um investigador do Institute of Computing Technology e conhecedor do projecto nota que “pessoas não relacionadas têm faces tão similares que nem os seus parentes os conseguem distinguir”.

Apesar disso, também o aeroporto do Dubai vai usar em 2018 um corredor para permitir o reconhecimento facial como forma de acelerar a entrada de passageiros. O túnel, com a aparência de um aquário, analisa a íris ou a face do passageiro enquanto este avança, sem qualquer aparente intromissão para validar a sua identificação pessoal.